A importância da mulher na área da saúde

Compartilhe nas redes sociais:    Compartilhar  Twittar  Compartilhar  Compartilhar

A importância de mulher na área da saúde

 Não é novidade o fato de que ao passar dos anos a mulher tem conquistado cada vez mais o seu espaço no mundo, seja qual for o segmento, e isso é mérito tão somente delas mesmas. Ainda existem muitos desafios a serem enfrentados, mas o papel da mulher na sociedade vem tornando-se cada vez maior e melhor.

A força, a determinação, a perseverança e a sabedoria fazem da mulher a chave e a solução para diversas situações e conflitos, assim como planejamentos e tomada de decisão. Dentro desse contexto, na área da saúde não é diferente. Há uma crescente busca e interesse por parte da mulher em buscar formação e especialização nesta área, onde as mesmas tem ocupado espaço significativo.

A participação das mulheres no setor saúde, representa cerca de 70% segundo estudos realizados no ano de 2018.

O crescimento é frequente, e os meios de empresas e instituições valorizarem a mulher em seu ambiente é apresentado através da oportunidade e respeito, onde qualificam-se cada vez mais, podendo assim, oferecer e desempenhar papéis e cargos de alta responsabilidade e reconhecimento.

A mulher é peça essencial, ao desempenhar sua profissão em consultórios, clínicas, hospitais e maternidades, onde transfere com amor e atenção além do necessário dentro de sua realidade como profissional da saúde.

 

Destacamos algumas mulheres que tiveram grande contribuição nas áreas da saúde e ciências:

Marie Curie: Pesquisou a radioatividade

Conhecida por ser a primeira mulher ganhadora de um Prêmio Nobel, fato que se repetiu mais uma vez, Marie Curie estudou, junto com seu marido Pierre Curie, a radioatividade dos raios-X.

Gerty Cori: Descreveu o Ciclo de Cori

Ganhadora do Prêmio Nobel em Fisiologia ou Medicina em 1947, Gerty Cori foi fundamental para a compreensão do metabolismo do corpo humano.

 

Isso porque, em 1929, Gerty e Carl Cori descreveram que, quando o músculo é flexionado, há produção de ácido lático, convertido em glicogênio no fígado. Esse glicogênio é convertido em glicose, que é absorvido novamente pelos músculos, processo que hoje é conhecido como Ciclo de Cori. Esse estudo é importante para a compreensão da fonte de energia durante a atividade muscular.


Letitia Mumford Geer: Inventou a seringa

Em 1899, uma enfermeira chamada Letitia Mumford Geer patenteou um dispositivo para aplicação de substâncias com funcionamento baseado em um pistão.

Atualmente, este dispositivo é conhecido como seringa, que é usada no mundo inteiro, todos os dias.


 

Margaret Sanger: Pioneira nos estudos e ativismo do controle de natalidade

Sanger foi uma enfermeira sexóloga pioneira nos estudos da natalidade, principalmente no que tange seu controle. Fundou a primeira instituição de planejamento familiar do mundo, chamada Planned Parenthood Federation of America, em 1916.

 

Era ativista a favor do desenvolvimento da pílula anticoncepcionalque, infelizmente, só foi liberada quando já estava na terceira idade.

 


Youyou Tu: Ajudou a criar um novo tratamento para malária

A praticante de medicina tradicional chinesa Youyou Tu, juntamente com Satoshi Omura e William C. Campbell, ganhou o Prêmio Nobel em Fisiologia ou Medicina em 2015 por suas descobertas em um novo tratamento para a malária. Youyou Tu conseguiu extrair a substância ativa da Artemisia annua, uma planta utilizada para a febre na medicina tradicional chinesa, chamada artemisinina, que é capaz de inibir o parasita da malária.

 

Adriana Melo: Apresentou evidências da relação entre o zika vírus e a microcefalia

Em novembro de 2015, a médica Adriana Melo, que cuida de gestações de alto risco, apresentou provas da relação entre o vírus da zika e a microcefalia.

 A médica ficou intrigada quando viu pacientes tendo problemas gestacionais relacionados à má-formação, e, ao mesmo tempo, recebeu uma nota técnica da Secretaria de Estado de Pernambuco que alertava para o aumento de casos de microcefalia em bebês de mulheres que tiveram manchas vermelhas, sintoma da zika, nos primeiros meses da gravidez. Melo juntou todos os seus recursos e enviou amostras de líquido amniótico de gestantes com suspeita de zika para a Fiocruz, que retornou no dia 17 de novembro anunciando a presença do vírus zika morto no líquido.



Christiane Nüsslein-Volhard: Descreveu o desenvolvimento do embrião

Christiane Nüsslein-Volhard é uma bióloga alemã co-ganhadora do Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1995 por suas descobertas acerca de embriões. Sua equipe, formada por Edward Lewis e Eric Wieschaus, pesquisou o desenvolvimento de embriões da Drosophila melanogaster, uma espécie de mosca, e desvendou o processo de como um óvulo era capaz de se desenvolver e formar um embrião.

Essas descobertas poderiam, posteriormente, ajudar a explicar malformações congênitas em seres humanos.

Gertrude B. Elion: Produziu os primeiros fármacos sintéticos

Gertrude Elion ganhou o Prêmio Nobel em Fisiologia ou Medicina pelos seus feitos na área da farmacologia. A pesquisadora revolucionou a área da saúde ao produzir, juntamente com George Hitchings, fármacos baseados nos conhecimentos de bioquímica e doenças, não apenas em substâncias naturais. Eles produziram medicamentos para leucemia, o que contribuiu para que diversas crianças sobrevivessem mesmo com a doença.

 

-

Dentre tantas outras, as mulheres tiveram e ainda têm papel importante e indispensável tanto na evolução e desenvolvimento da população, quanto em contribuições para um mundo melhor.

 

Mulher,

Da força maior à abnegação.

Resistência da sociedade à docilidade do amor irrestrito.

Hoje é seu dia

  

A faculdade FACIS parabeniza com grande felicidade todas as mulheres!



Fonte: Do autor / Minuto Saudável