Criança Z

Compartilhe nas redes sociais:    Compartilhar  Twittar  Compartilhar  Compartilhar

O computador tornou-se um elemento para a expansão do conhecimento humano, com a possibilidade de adaptar-se ao ritmo de aprendizado de cada um, podendo potencializar mudanças no processo de ensino/aprendizagem. Uma nova forma de ensinar e um novo jeito de aprender A informática direcionada à criança auxilia no processo educativo pela possibilidade de aprender brincando, recebendo conhecimento e desenvolvendo competências e habilidades. É aceito hoje que o uso do computador pelas crianças contribui para o aceleramento do seu desenvolvimento cognitivo e intelectual, ajudando-a nas suas habilidades de inventar e achar soluções para problemas. É uma forma de aprendizado fascinante com novas possibilidades de ferramentas de ensino.

É, portanto muito importante nos dias de hoje que a criança seja introduzida no mundo da informática, mas de forma consciente e objetiva. É o mundo que ela viver, com recursos incontáveis.

Bem orientado, uso moderado de computadores e vídeo games parece não afetar o desenvolvimento social da criança. Trabalhos mostram que o comportamento social das que usam e as que não, é praticamente o mesmo.

Por outro lado, o uso excessivo de computadores leva as crianças a se sentirem com menos controle sobre suas vidas, dependentes e isoladas, e ainda a desenvolverem problemas de ordem física.

Um estudo recente com 18 universitários chineses que jogavam em seus computadores por pelo menos 8 (oito) horas por dia, seis dias da semana, mostrou quantidades alarmantes de atrofia em partes do cérebro. São relatados o aparecimento de sintomas neurológicos, como convulsões e outras desordens dessa natureza.  O desenvolvimento de obesidade é um problema crítico dessas crianças com relatos de risco de 2,5 vezes mais chances de desenvolvê-la. A par, problemas de sites maliciosos podem comprometer o desenvolvimento com sérias sequelas. O controle de acesso a determinados sites e a limitação do tempo de uso podem ser feitas por programas de controle e é uma responsabilidade dos pais e responsáveis.

O meio termo, entre útil e prejudicial do uso do computador e afins deve ser preocupação dos pais e educadores, que devem usar o bom senso para se ter só o lado bom da informática na vida das nossas crianças.

Dr. Evandro Roberto Baldacci
Livre Docente USP
Coordenador dos Cursos de Pediatria da FACIS